Infovíduo

Estamos, de fato, diante de uma dupla mudança da nossa condição habitativa. Por um lado, tornado-nos parte de um organismo vivo e interagente, chamado Gaia; por outro, estamos conectados a redes de dados e infinitos fluxos de informação que nos transformam em algo diferente de um indivíduo e de uma entidade física.

Hoje, a cada pessoa física e biológica, corresponde uma outra digital, semelhante e feita de dados. Além do conjunto de informações que colocamos on-line espontaneamente e que são para nós, em muitos casos, visíveis e conhecidas, há muitos outros dados sobre nossa pessoa na web, em sua maioria invisíveis e desconhecidos para nós. Tais dados são referentes a informações produzidas por outros (entidades públicas e privadas) ou gravadas por softwares e relacionadas a todas as nossas atividades e interações on-line.

O termo que cunhei para expressar a natureza múltipla e simbiótica de nossa condição plural e a conexão de nossas diferentes dimensões, a biológica, a material-física e a informativa, é infovíduo. O infovíduo é a entidade plural e complexa, composta por redes de diversos tipos: redes biológicas, redes neurais, redes de células, redes de tecidos, redes relacionais e sociais (presenciais e digitais), redes de dados digitais (big data, dados pessoais, relacionais, etc.).